segunda-feira, 7 de maio de 2012

RUBENS SHIRASSU JR.

O revisor de textos, escritor e poeta Rubens Shirassu Júnior, 51 anos, estará lançando o seu primeiro livro de poemas que se chama Cobra de Vidro, no próximo dia 11 de maio, sexta-feira, a partir das 19h30, na Sala de Convivência do Centro Cultural Matarazzo, em Presidente Prudente. Esta edição revista e aumentada pelo poeta adquire, as­sim, uma grande importância, pois possibilita um estudo da evolução de sua poesia e a admiração do que ele tem feito de mais alto e melhor. Rubens Shirassu Júnior reviu conceitos, re­fez a estrutura e lançou um olhar renovado sobre a obra. O livro de Shirassu Júnior havia sido escrito há 22 anos e também censurado por alguns jornais e revistas locais da época. Entre os 25 autores contemplados, o poeta prudentino foi o único escolhido da região Oeste do Estado de São Paulo. “Dá-se em Cobra de Vidro a expansão de fantasias secretas, de vida e morte, realizando obras de dupla elaboração: os efeitos de imagens sob a química da pintura em cenas cinematográficas surrealistas, estilhaços no rolo de filme emaranhado na rotação do insólito, do maravilhoso ou das propriedades mágicas de investigação do cosmo. Um satori, uma iluminação? Seria uma procura ao equilíbrio perdido ou uma literatura como desequilíbrio à ordem predatória? Talvez, as rupturas do eufemismo, do lirismo, os clichês românticos e a mesmice da literatura conservadora tenham ocasionado a empatia junto à estranheza pelos editores e jornalistas, culminando com a absurda censura.” – declara o poeta Rubens Shirassu Júnior. Tanto que, o designer gráfico Rubens Pereira, aqui, de Presidente Prudente, leu o conjunto de poemas e observou que a imagem da serpente percorre, de forma obsessiva, a minha obra e, de certo modo, a emblematiza.” – ressalta o mesmo. Ao criar várias palavras em forma de cobra, nota-se que a ilustração da capa leva para um questionamento implacável da existência que recobre o arquétipo ingênuo do mito, no caso, da tentação de Eva para um mergulho falaz do sentidos, através da erotização da linguagem. Como mostra o poema Nascente com a reflexão metafísica sobre o ciclo da criação, o Ying e Yang ou o alfa e o ômega, pois a matéria vidro surge do processo de transformação da areia que faz o fundo da arte, simbolizando também a forma seca dos poemas que compõem o livro. Shirassu Júnior prepara o leitor para um desfile de realidades, calcadas no contraste, na dualidade espírito/carne, liberdade/obediência a regras e, principalmente, na busca pelo silêncio. A crítica especializada e um grupo restrito de poetas e admiradores reconheceram, de imediato, que a poesia de Rubens Shirassu Júnior mostra-se mais livre, viva, moderna, densa, oscilando entre os estilos simbolista, ultrar-romântico, surrealista, sem eufemismo, com créditos à moderna poesia brasileira. As bases referenciais de sua literatura e no espírito, as raízes orientais nas filosofias do Budismo, de Confúcio, do Taoísmo chinês. Em movimentos culturais, como Geração Beat, dos anos 50, a contracultura e a vida alternativa dos anos 60 e 70. Um coquetel alquímico que Shirassu Júnior preparou com requinte e paixão para o público que, há trinta e dois anos, o admira e esperava também uma edição de maior apuro gráfico e estratégia de divulgação de sua produção poética, graças ao seu projeto aprovado pelo Governo do Estado de São Paulo, Secretaria da Cultura, Programa de Ação Cultural (ProAC 2011), e com o apoio cultural da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e Centro Cultural Matarazzo, de Presidente Prudente. Cobra de Vidro Poemas Rubens Shirassu Júnior Edição do Autor 80 páginas R$ 19,90 São Paulo – SP 2012 Dia 11 de maio, sexta-feira, a partir das 19h30, na Sala de Convivência do Centro Cultural Matarazzo Rua Quintino Bocaiúva, Nº 749 Fone: (***18) 3226-3399 Vila Marcondes Presidente Prudente – São Paulo

Um comentário:

Antonio disse...

passando para conferir as novidades e te deixar um abraço fraterno.