sexta-feira, 20 de junho de 2008

SILAS DELGADO


Como aquele a desmaiar subtamente,
sem escolha,
sem momento,
sem mente,
semente cruel germinada,
subtamente sofro da cegueira dos ciúmes latente.
.
Ciúmes.
.
Correia de irracionalidade,
irracionalidade instintiva,
espremes meu coração tanto que o deixa pequeno,
e meus bofes são postos pra fora em forma de silêncio.
.
Silêncio.
.
Silêncio mortal para nós,
silêncio grito de dor,
silêncio súplica,
silêncio expressão de meu distanciamento do amor.
.
Distanciamento.
.
Distanciamento porque prefiro adiantar a dor,
enquanto em meu controle,
como se o amor tivesse controle,
do que desconta-la em ti.
.
Por ti.
.
Quanto a dor do ciúme e o medo de te perder,
prefiro ser egoísta há não ser,
não devolverei tamanha carga que me deu e engoli,
faço isso em nome do bem querer,
faço por ti.
Silas Delgado

tela: claude monet

Um comentário:

Poesia! disse...

Fico muito agradecido por tamanha dadva!
Espero retribuir o mais breve possivel!
Silas Delgado