sexta-feira, 10 de outubro de 2008

A CRISE


Somente os imbecis exigem racionalidade em momentos de crise, que é por si só um movimento de irracionalidade.Analisar os movimentos diários da crise é um ato insano e inútil. O importante é analsiar as causas.As pessoas normais (exemplo Greenspan), conforme declaração abaixo grifada em vermelho, estavam preocupadas com a insanidade dos preços das commodities antes da crise: com base no ano de 2.000 variação de preços de 165,32% nos alimentos, 186,72% nos metais e 134,56% no petróleo.A esse estranho comportamento dos preços, Greenspan preferia alertar com a poética frase “Estamos numa exuberância irracional!”. Mas a quem poderia se atribuir o déficit de racionalidade? Pela enésima vez afirmo que esse tema tem muita bala para pouco canhão. Não há nada além do que já escrevi, ou seja: houve superprodução irresponsável de dólares, e como os Estados Unidos é o Banco Central do Planeta (todos os países têm reservas em dólares) - o dólar pode ser considerado como sendo a base monetário do planeta -. Com o efeito multiplicador de crédito (a base monetária se multiplica em muitos créditos ao mesmo tempo em função da velocidade da moeda) gerou uma montanha de créditos espalhados pelo mundo que criou uma ilusão monetária de crescimento e prosperidade mundial falsa, definida por Greenspan como "Exuberância Irracional"Com a crise (ajuste técnico do mercado) todos os países periféricos entrarão em crise cambial, os juros americanos irão subir após a eleição, a quebradeira em torno do mundo irá esterilizar os dólares falsos e tudo voltará a nova ordem mundial, como sempre foi. E os primatas irão descobrir que o Estados Unidos não acabou. A valorização do dólar no mundo está ocorrendo em função dos investidores escolherem os Estados Unidos para abrigar o seu dinheiro no período de crise, mesmo sendo remunerado com juros negativos, visto que as demais opções de outros países para garantir os seus investimentos seriam muito piores.
RICARDO BERGAMINI

Um comentário:

Talma disse...

Vaso Ruím não quebra!
cai... quica no chão
vai de um lado pra outro,
bate nas quinas
rola escada à baixo
alguém até deixa cair alguma coisa em cima...
Mas sempre apararecerá um que o recolherá, encherá de flores e o recolocará no antigo pedestal...
e todos irão exclamar boquiabertos
__Oh! Que Vaso Maravilhoso!
Quem nos dera ser assim!